Requerimento Nª 4718/2018
9 de julho de 2018
Requerimento Nº 4912/2018
9 de julho de 2018
Exibir tudo

TEXTO COMPLETO

Requeremos à Mesa, ouvido o Plenário e cumpridas as formalidades regimentais,
que seja concedido um VOTO DE APLAUSO ao CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE
PERNAMBUCO – CRCPE, pela solenidade alusiva à PREMIAÇÃO O CADUCEN 2018
condecorando profissionais e entidades em Pernambuco, bem como pela solenidade
de POSSE DE 2/3 DOS NOVOS CONSELHEIROS DO CRCPE para o mandato de 2018-2019, a
realizar-se no próximo dia 23 de março, no Arcádia – Boa Viagem – Recife/PE.

JUSTIFICATIVA

Este pleito homenageia o Conselho Regional de Contabilidade de Pernambuco –
CRCPE, pela solenidade alusiva à PREMIAÇÃO O CADUCEN 2018, considerado o “Oscar
da Contabilidade Pernambucana”, bem como pela solenidade de posse de 2/3 dos
novos conselheiros do CRCPE, para o mandato de 2018-2019, a realizar-se no
próximo dia 23 de março, no Arcádia – Boa Viagem, na capital pernambucana.

O CRCPE, que criou a premiação objetivando valorizar a atividade contábil,
reconhecendo o mérito do trabalho profissional, das entidades contábeis e das
Instituições de Ensino Superior, por relevantes serviços prestados em prol do
desenvolvimento e ascensão da contabilidade pernambucana, que é prestigiada por
lideranças da classe contábil nacional, além de autoridades locais, entre
outras. Com a máxima “União, Conhecimento e Progresso: Valores da Contabilidade
Pernambucana”, os agraciados com o prêmio “O CADUCEU” são glorificados por
contribuírem diretamente com o fortalecimento da identidade e manutenção de um
constante processo evolutivo no cenário contábil pernambucano. A solenidade é
uma justa homenagem que o Conselho presta aos profissionais cuja trajetória
orgulha e fortalece a sociedade e a Contabilidade pernambucana.

Sobre a denominação do prêmio “O CADUCEU”, que é uma simbologia da Ciência
Contábil, segue um breve histórico para conhecimento geral, cuja fonte
pesquisada segue logo abaixo: “Mercúrio era um deus da mitologia romana, que
tinha sobre seu protetorado várias coisas, dentre elas, o comércio. Era filho
do deus Júpiter (o maior), e o mensageiro de todos os deuses, em razão de sua
grande agilidade (simbolizadas pelas duas asas que ladeiam seu capacete) e de
dispor da confiança da máxima divindade.
O caduceu era um bastão de ouro que Mercúrio recebera em troca de instrumentos
musicais que inventara (a lira e a flauta) e que haviam maravilhado a Apolo
(que detinha poderes e conhecimentos mágicos e era o titular do caduceu). Não
só Mercúrio trocou os objetos como exigiu de Apolo que lhe repassasse segredos
de magia, notadamente, da adivinhação.
O caduceu passou a ser símbolo dos atributos de Mercúrio, e esse de tal forma
aprofundou-se na adivinhação que passou a conhecer a sorte de outros seres pelo
jogo de pedras (semelhante ao de búzios). Mais tarde, usando o capacete de
Hades, Mercúrio tornava-se invisível, e assim, prestou grandes serviços a
outros deuses, entre outras coisas, derrotando e matando o temível gigante
Hipólito. Tais vitórias transformaram o habilidoso Mercúrio no principal
intérprete da vontade divina. Por esta razão ele era, também, o mais ocupado de
todos os deuses da mitologia.
Muitas outras atribuições e protetorados a mitologia confere a Mercúrio. Ao
tomar o caduceu como seu símbolo, ele também se tornou o símbolo de tudo o que
protegia, inclusive o comércio. Como a Contabilidade Comercial foi à ciência
mais importante durante milênios, é justificável a adoção de Mercúrio como
patrono da Contabilidade. A própria literatura contábil atesta essa
predominância – a primeira obra impressa de contabilidade industrial surgiu no
início do século XVII – e os locais onde se ensinava a contabilidade eram
denominados “Escolas de Comércio”.
Em Portugal (século XVIII), quando teve início o ensino da Contabilidade, em
escolas onde se formavam os Contadores que vinham para o Brasil, o processo
didático denominava-se “Aulas de Comércio”. Ainda hoje possuímos os colégios
comerciais, formando técnicos em Contabilidade. Essa poderosa associação de
“Aulas de Comércio”, “Escolas Técnicas de Comércio”, “Escrita Mercantil”,
“Livros Comerciais” (expressões do Direito), justifica a adoção de Mercúrio,
como evocação representativa, e do caduceu – representante simbólico desse
mesmo Deus – como símbolos da Contabilidade.” (Fonte:
http://www.crcmg.org.br/conteudo/ver/id/19/caduceu).
Por tudo exposto, considerando justa este VOTO DE APLAUSO, parabenizando a
todos que fazem o CRCPE, agraciados com “O CADUCEU” e novos Conselheiros, peço
o apoio dos nobres pares para aprovarem este Requerimento.

Sala das Reuniões, em 22 de março de 2018.

Roberta Arraes
Deputada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *